facebook instagram
Portal de Turismo de
Ascurra

Ascurra


{{previsaoTempo.dia1.diaSemana}} {{previsaoTempo.dia1.condicao}} min {{previsaoTempo.dia1.minima}} / max {{previsaoTempo.dia1.maxima}}
{{previsaoTempo.dia2.diaSemana}} {{previsaoTempo.dia2.condicao}} min {{previsaoTempo.dia2.minima}} / max {{previsaoTempo.dia2.maxima}}

Apresentação

A história do município de Ascurra inicia-se no ano de 1874, quando o Dr. Hermann Blumenau designou dois agrimensores para que procedessem a demarcação de lotes urbanos e rurais, estradas a serem construídas, pontes e bueiros sobre os ribeirões e córregos, bem como, houvesse a delimitação dos terrenos para a instalação da futura sede da povoação. Simultaneamente foram projetadas as praças, logradouros públicos e foram designados os locais onde se construiriam escolas, igrejas e cemitérios.

Os primeiros imigrantes italianos, designados a ocupar as primeiras terras da Colônia de Ascurra (leva este nome por desejo de Dr. Blumenau, em vitória conquistada em terras paraguaias no ano de 1869, onde existia em monte íngreme denominado Ascurra), aportaram em Itajaí, em setembro de 1876, época que havia muita imigração, do velho para o novo mundo, originada pela falta de trabalho e de terras para o cultivo. Dias após o desembarque, guiados por caboclos práticos, alcançaram a sede da Comarca, tendo sido recebidos por Dr. Blumenau, onde, por causa da fadiga de terem caminhado aproximadamente 50 Km, foram acomodados precariamente, juntamente com suas famílias, nos barracões de imigrantes, onde ficaram entre uma e duas semanas.

Após esse período chegou a notícia de que partiriam para seu destino, onde, acompanhados por pessoas práticas em transporte através de montanhas e bosques e de vencerem distâncias através de atalhos, deslocaram-se dos barracões e seguiram pela margem direita do Rio Itajaí-Açu até a Foz do Ribeirão São Pedro, na localidade denominada Picada Rodeio, daí passaram para a margem oposta com canoas improvisadas construídas de troncos de árvores. Desse local margearam o Rio Itajaí-Açu mais 01 Km acima, onde seria implantada a nova sede da Colônia.

Deram início à construção de miseráveis barracos para se alojarem. Com diversas dificuldades e vivendo em situação de penúria, com poucos recursos alimentares, senão da caça, começaram a desbravar a mata com pequenas clareiras derrubadas a foice e a machado, ferramentas essas trazidas da Itália. Escolheram como sendo as primeiras sementes a plantar o milho e o feijão, pois são produtos com um ciclo vegetativo curto e se associam na mesma roça, cuja colheita insignificante, mas porém muito próxima, serviria para suprir as necessidades da cozinha. Em 15 de novembro de 1876, Dr. Blumenau em visita oficial ao povoado, doou os primeiros lotes às famílias de imigrantes, dando início oficialmente a colonização e a fundação da povoação de Ascurra. Dois nomes se destacavam nesse período, Giovanni Buzzi e o Pe. José Maria Jacobs, que instruiam e ajudavam os imigrantes.

Em 04 de fevereiro de 1880, a freguesia de São Paulo Apóstolo (primeiro nome de Ascurra) foi elevada a categoria de vila de Blumenau, abrindo-se consequentemente novos horizontes e aumentando o número de imigrantes. Em pouco tempo as laboriosas famílias de imigrantes desbravaram mais matas, ampliando desta maneira a área destinada a instalação das lavouras, tendo como conseqüência abundantes colheitas. Faltavam, porém vias de comunicação com outras localidades para poderem fazer o escoamento de seus produtos. Começaram então movimentos para melhorias de meios de transporte, onde em 1907 Dr. Blumenau inaugurou a Estrada de Ferro Santa Catarina, a qual passava por Ascurra. 

Em 1911 a população de Ascurra mostrou mais uma vez ser valente e corajosa, onde enfrentou sem medo a maior enchente que se tem conhecimento em toda a história do Rio Itajaí-Açu. Houve destruição de casas, ranchos, lavouras e perdas de animais. a “Colônia Italiana”, assim como eram carinhosamente chamados, não se intimidou e começou a reconstrução, sendo que em menos de dois anos, já tinham praticamente dobrado a produção agrícola da época da enchente.

Considerada a cidade mais simpática do Vale Europeu, Ascurra possui forte presença européia marcada por um povo acolhedor que preserva suas raízes. A cultura, tradição e alegria do seu povo se destaca estampada em cada rosto ascurrense. Aproveitando as características naturais, o Turismo é uma forma de promover e impulsionar o crescimento sustentável.

Imagem ilustrativa região turística Vale Europeu

Vale Europeu

A tradição herdada dos colonizadores europeus deu a esta região o título de Europa brasileira, por apresentar características próprias das cidades germânicas, como a gastronomia, a cultura cervejeira, as casas em estilo enxaimel e a notável receptividade e educação de seu povo. Conhecida por realizar a maior festa alemã das Américas, a Oktoberfest, em Blumenau, a região é também referência no turismo religioso, abrigando o Santuário Madre Paulina em Nova Trento. Para os aventureiros a região oferece atrativos como cavernas, saltos de parapente, vôo livre, rafitng e trilhas por lugares de tirar o fôlego.

Saiba mais sobre a região Vale Europeu acessando o
IDMS de Ascurra
Índice de Desenvolvimento Municipal Sustentável
0,000
Borracharia, oficinas, clínicas, farmácias, imobiliárias, guias de turismo, telefones úteis, etc... Conheça o guia completo de serviços de Ascurra.
Saiba Mais

COMO CHEGAR

PRINCIPAIS DISTÂNCIAS

Florianópolis, SC - 188 km Ver mapa >
Blumenau, SC - 42 km Ver mapa >
Joinville, SC - 131 km Ver mapa >
Chapecó, SC - 435 km Ver mapa >
Lages, SC - 181 km Ver mapa >
Criciúma, SC - 369 km Ver mapa >
Porto Alegre, RS - 526 km 624 km 7 horas 29 minutos Ver mapa >
Curitiba, PR - 238 km Ver mapa >
São Paulo, SP - 632 km Ver mapa >
Brasília, DF - 1613 km Ver mapa >